As férias de verão são perigosas para a saúde dos nossos filhos? Descubra os resultados preocupantes de um estudo

RESUMIDAMENTE

  • Férias de verão
  • saúde das crianças
  • estudo preocupante
  • resultados perigosos

As férias de verão, época muito aguardada pelas crianças, às vezes podem representar riscos à saúde. Um estudo revelador aponta os potenciais perigos a que os nossos jovens estão expostos neste período de lazer. Vamos mergulhar juntos nas descobertas alarmantes desta pesquisa.

Os hábitos de verão das crianças sob o microscópio

Desde 5 de julho, todos os alunos estão oficialmente de férias de verão. Este período de descanso tão esperado pelas crianças e pelas suas famílias, no entanto, envolve desafios que por vezes são subestimados. Embora muitas vezes pensemos em nadar, aplicar protetor solar e relaxar, a realidade costuma ser mais sutil. De acordo com um estudo da University of South Australia publicado na revista internacional Crianças, O férias de verão frequentemente resultam em maior exposição a telas e um estilo de vida sedentário marcado.

Um estilo de vida sedentário problemático

Os pesquisadores analisaram o comportamento de 14 milhões de crianças em idade escolar entre os 5 e os 18 anos e notou uma tendência preocupante: durante as férias de verão, os jovens passam mais tempo em ambientes fechados e em frente aos ecrãs. Essas mudanças de comportamento resultam em deterioração de sua condição física e um ganho de peso. É preocupante notar um declínio notável na resistência física. No início do ano letivo, as crianças muitas vezes lutam para recuperar o nível inicial de aptidão, observado no final do ano letivo.

Consequências na aprendizagem

Além dos efeitos físicos, as férias de verão trouxeram impacto nas habilidades de aprendizagem crianças. A ruptura com o ritmo e as exigências escolares leva a um certo desligamento, resultando na queda do desempenho acadêmico no início do ano letivo.

O papel do estilo de vida e dos hábitos alimentares

Durante este período, os escolares adotam frequentemente comportamentos alimentares menos saudáveis, aumentando o consumo de junk food. Emily Eglitis, principal autora do estudo, destaca que a combinação desses fatores tem impactos negativos significativos na saúde, especialmente entre crianças oriundas de meios desfavorecidos.

Recomendações para atividade física adaptada

Incentivar as crianças a permanecerem ativas durante as férias é essencial para manter uma boa saúde. Aqui estão as recomendações da ANSES (Agência Nacional de Segurança Alimentar) com base na idade:

  • Para crianças menores de 5 anos:
    Recomenda-se praticar três horas de atividade física por dia. Incentive a brincadeira e a diversão por meio de atividades variadas, como caminhar, correr, pular, arremessar e se equilibrar.
  • Para crianças de 6 a 11 anos:
    Recomenda-se uma hora diária de atividade física de intensidade moderada a alta.
  • Para adolescentes de 12 a 17 anos:
    Praticar uma hora de atividade física de intensidade moderada a vigorosa todos os dias é essencial. As atividades devem desafiar os músculos e melhorar a resistência e a flexibilidade. São recomendadas atividades como ginástica, escalada, dança e jogos com bola. Os adolescentes devem ser incentivados a escolher atividades que gostem, sejam elas realizadas com amigos, em um clube ou com a família.

Concluindo, embora as férias de verão sejam uma oportunidade para descansar e desfrutar de momentos em família, é fundamental manter-se vigilante relativamente aos riscos associados ao sedentarismo e aos maus hábitos alimentares. O equilíbrio entre relaxamento e atividade física é essencial para garantir a saúde e o bem-estar dos nossos filhos.